Skip to content

Novela é ficção, chute na santa é vida real, diz executivo da Globo

abril 17, 2008

A Globo reagiu à reportagem da Record de ontem à noite, na qual a emissora atacou o “preconceito religioso” que a novela “Duas Caras” estaria promovendo (segundo a própria Record). Para o diretor da Central Globo de Comunicação (CGCom), Luis Erlanger, a atitude mostra como a Record é preconceituosa e confunde ficção com realidade.

“Chute na santa, campanha para acabar com as festas de São João etc., isto, sim, é coisa da vida real. O que se passa em “Duas Caras” é só uma ficção, afirmou Erlanger à Folha Online.

“O preconceito é deles (da Universal) que (automaticamente) colocam uma fanática desequilibrada como evangélica, e não o Aguinaldo Silva. Que, aliás, é um defensor de movimentos e de minorias.”

A última reportagem de ontem no “Domingo Espetacular”, com várias chamadas, criticou a trama de Aguinaldo Silva por ter levado ao ar uma cena na qual a personagem Edivânia (Susana Ribeiro) comandava uma tentativa de linchamento do triângulo amoroso formado pelos personagens Dália (Leona Cavali), Bernardinho (Thiago Mendonça) e Heraldo (Alexandre Slaviero). A Globo foi acusada abertamente de incitar o preconceito contra evangélicos. Há um detalhe: em nenhum momento a novela usou a palavra “evangélico”, embora seja óbvio que Edivânia pertença à corrente.

No entanto, a reportagem da Record não citou que a Igreja Universal do Reino de Deus (IURD), dona da emissora, tem histórico de ataques outras religiões, como o candomblé e o espiritismo, além da Igreja Católica.

Um dos principais best-sellers do dono da Record e líder da Iurd, bispo Edir Macedo, é o livro “Orixás, Caboclos e Guias – Deuses ou Demônios?”. A obra diz que umbanda, candomblé, quimbanda e kardecismo são os “principais canais de atuação dos demônios, principalmente em nossa pátria”.

O livro foi tirado de circulação em 2005 pela Justiça, a pedido da Procuradoria Geral da República, acusado de intolerância para com as religiões afro-descendentes.

Em entrevista à Folha Online, o promotor Almiro Sena Soares Filho, da Promotoria de Combate ao Racismo e à Intolerância Religiosa do Ministério Público Estadual da Bahia, afirma que, em Salvador, já houve casos de agressões de fiéis evangélicos a terreiros de candomblé.

Mas, segundo o promotor, os evangélicos também sofrem com a intolerância. “Tem gente que diz que evangélicos são otários e que os pastores são estelionatários. A gravidade é a mesma e esse preconceito é absurdo. Há gente boa e ruim em todas as religiões”, afirma.

Para Soares Filho, a única saída para o conflito é a convivência harmoniosa entre as religiões. “Todas as religiões devem ser respeitadas”.

A Folha Online procurou a Record, para comentar o caso. No final da tarde desta segunda-feira, a emissora divulgou, em nota, que o programa “Domingo Espetacular” foi imparcial ao narrar os fatos.

Segundo a Record, o “Domingo Espetacular” registrou a maior audiência desde a estréia da atração em abril de 2004. Com pico de 20 pontos, média de 15 e “share” (participação no total de TVs ligadas) de 24%, o programa, apresentado por Paulo Henrique Amorim, Janine Borba e Tina Roma, ficou em segundo lugar no ranking da audiência.

Fonte: Folha Online

Anúncios
No comments yet

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: